05 março 2012

L15 - Dom Casmurro

Dizer que eu, em geral, não gosto dos livros da escola é pouco – eu os detesto. Até agora, no ensino médio (embora eu esteja ainda no segundo ano) só estudei gêneros literários bobinhos e eu diria até mesmo secundários –fora a poesia romântica, nenhum despertou em mim, leitora ávida, a menor centelha de curiosidade. Além disto, meu hábito de ler me fez associar leitura ao prazer, a descontração e falta de responsabilidades; não à obrigação e aos prazos – muito menos à testes de múltipla escolha.
Mas, pela primeira vez, um livro escolar me encantou: Dom Casmurro. Há pouco a ser dito dessa obra, já que todos conhecem a estória de amor e obsessão de Bentinho e Capitu escrita pelo brilhante e imortal Machado de Assis. Como não posso dizer muito de novo sem cair na maravilhosa  e irritante prolixidade, fiz uma resenha em um formato diferente – o de lista – e aí vão minhas oito razões pelas quais você deve correr para a biblioteca, livraria ou supermercado mais próximo e ler Dom Casmurro JÁ (caso ainda não o tenha feito):
1 – É provavelmente o maior clássico da literatura Brasileira
Esse parece ser um motivo bobinho, mas não é. Além de ser cobrado na maior parte dos vestibulares e concursos, Dom Casmurro é conhecido internacionalmente – mais de um gringo já me indagou sobre meu veredito no mistério de Bentinho e Capitu, além de inúmeras referências a ele em livros contemporâneos. E, mesmo que você deteste o Brasil e nossa literatura, garanto-lhe que Dom Casmurro está ao lado dos grandes clássicos de outras terras em termo de qualidade.
2 – Citações brilhantes
Eu não sou do tipo que gosta de encher os perfis das redes sociais de citações de livros ou coisas do tipo – em geral, elas estão fora de contexto, e a maior parte delas não fazem tanto sentido assim. Contudo, Machado de Assis é tão brilhante em suas reflexões sobre a vida que qualquer um o entenderia. Eis uma das minhas citações prediletas:
Quando, mais tarde, vim a saber que a lança de Aquiles também curou uma ferida que fez, tive tais ou quais veleidades de escrever uma dissertação a este propósito. Cheguei a pegar em livros velhos, livros mortos, livros enterrados, a abri-los, a compará-los, catando o texto e o sentido, para achar a origem comum do oráculo pagão e do pensamento israelita. Catei os próprios vermes dos livros, para que me dissessem o que havia nos textos roídos por eles.
- Meu senhor, respondeu-me um longo verme gordo, nós não sabemos absolutamente nada dos textos que roemos, nem escolhermos o que roemos, nem amamos ou detestamos o que roemos; nós roemos.
Não lhe arranquei mais nada. Os outros todos, como se houvessem passado palavra, repetiam a mesma cantilena. Talvez esse discreto silêncio sobre os textos roídos fosse ainda um modo de roer o roído.
3 – História
Embora eu saiba que os séculos passados seriam considerados por mim bem desagradáveis, gosto bastante de observar os atos de personagens em livros passados em séculos passados. Todas as eras possuem seu charme, e assim como Jane Austen, Machado de Assis cerca a época em que viveu com uma aura que, apesar de crítica, torna seu universo quase mágico.
4 – Personagens imperfeitos
Em praticamente toda resenha que faço há uma ode aos personagens que são somente demasiado humanos, aqueles com quem posso me identificar e/ou sentir pena de, cujas personalidades são colchas de retalhos, resultando de anos de experiências e conflitos internos. Nenhum personagem de Dom Casmurro segue formulas pré-existentes, nenhum é pouco complexo. Até mesmo a mãe de Bentinho – cujo epitáfio foi “Uma Santa” – apresenta seus deméritos, nada escapando à criticidade do narrador.
5 – Adaptações para o cinema e para a televisão
Acredito ser bastante desinteressante me aventurar em assistir qualquer tipo de adaptação sem antes ter lido o livro: simplesmente não consigo prestar atenção graças ao fato de que sei que, na maior parte dos casos, o livro será melhor. Dom Casmurro foi exaustivamente adaptado, e agora me sinto apta para julgar a qualidade destas adaptações com um olhar mais apurado. Aqui tem um videoclipe muito bom com cenas da minissérie Capitu, de 2008, da Rede Globo.
6 – Não é tão complicado quanto parece
Alguns torcem o nariz para os clássicos, achando que eles serão complicados demais, que, para cada duas palavras, uma será desconhecida. Li Dom Casmurro em pouco tempo – talvez não menos do que levaria para ler um livro YA, mas a leitura flui muito bem: embora alguns termos e referências fossem desconhecidas, elas eram poucas, e as existentes enriqueceram meu repertório.
7 – É MUITO atual
Dizem os entendidos que a boa literatura é perene, isto é, dá ao leitor, independente de onde ele está no tempo e no espaço, a sensação de que aquelas situações são reais, palpáveis e recorrentes. Quem não conhece – isso se não viveu esta situação – alguém que ficou cego, maluco de ciúmes por seu conjugue, acreditando que uma traição havia ocorrido? O ciúmes, assim como o amor, é universal, e vê-lo exagerado e brilhantemente descrito é sempre bom.
8 – Tire suas próprias conclusões sobre Bentinho e Capitu

Ocorreu ou não uma traição? Capitu e Escobar foram culpados, um por traição conjugal, outro de amizade? Ou Bentinho é apenas um louco obsessivo? Eu já possuía certa opinião antes mesmo de ler o livro por completo, mas só a leitura integral me garantiu de que ela fosse bem embasada. Sou partidária da segunda teoria, mas nunca saberemos: o autor levou esta resposta consigo para o túmulo. Ah, Machado! Ressuscita, por favor? Precisamos de suas respostas e do seu brilhantismo por aqui, em 2012...

11 comentários:

  1. Eu tenho esse livro aqui em casa
    Mas nunca conseguir terminar de ler...
    Quem sabe um dia eu crie vergonha na cara "/

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Eu só fui gostar de D. Casmurro na faculdade, no curso de Letras- e me apaixonei perdidamente pelo realismo de vários países, até mesmo ficando um pouco deprê na época pelas influências de tais leituras.
    Adoro Machado de Assis. Mas só depois de adulta. Sei- e entendo- como é chato ter datas para terminar de ler um livro para um fim escolar, mas para muitos é a única forma de ler algum clássico. O que é uma pena!
    Eu já achei que Capitu traiu, já achei que Bentinho é uma besta- hj acho que o Machado de Assis é o verdadeiro pai das pegadinhas. De bom gosto, para deixar isto bem claro...rs
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é uma pena mesmo. acredito que até eu, que gosto muito de ler (ao contrário da maior parte dos adolescentes :/) desprezaria dom casmurro nas primeiras páginas...

      Excluir
  3. Oi Isabel!
    Eu também não gosto dos "livros de escola", mas Machado foi um dos poucos que gostei.
    Não li Dom Casmurro, mas preciso!
    Outros dois dele que eu gostei são O Alienista e Memórias Póstumas de Brás Cubas, são ótimos!

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  4. Sem dúvida alguma, é um livro muito importante e marcante para nós, brasileiros, mas isso não me trouxe muito interesse, de repente porque ainda não tinha maturidade suficiente, não sei, mas lembro que terminá-lo foi uma tortura. Você me fez repensar sobre isso, acho que vou reler e tentar de novo! kkk

    Quanto á entrevista, foi uma senhora, que é psiquiatra, mãe de um ex-aluno e um ex-aluno de 98, 99, slá. Acho que são os mesmos... Tô quase morrendo de tanta ansiedade! kkkkk que chegue dia 13 logo! =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tente mesmo :D enfim, imaginei que fossem os mesmos... não faria mt sentido serem pessoas diferentes, porque seriam diferentes parâmetros e etc.
      cara, eu quase não fiquei ansiosa pro resultado da prova, mas dessa vez tá forte HUASHDUASD sei lá, pq estamos tão perto, né?

      Excluir
  5. COINCIDÊNCIA!
    Eu estava pensando nesta história. E hoje fiquei ouvindo várias vezes Elephant Gun. Ainda não li o livro, mas gosto da ideia que há nele. Queria assistir Capitu, parece incrível e foge do padrão global, nem parece que eles produziram.
    Seus textos são muito bons e super inteligentes. Sério, eu leio tudinho!
    Até mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada *_* capitu parece ser beeem legal mesmo!

      Excluir
  6. Dom Casmurro é um livro que encanta muita gente, mas não me ganhou =/ Gosto muito da história e da dualidade dos personagens, mas achei a leitura cansativa. Ou talvez simplesmente tenha ficado de saco cheio do Bentinho. Fato é que não curti muito não.

    ResponderExcluir
  7. Eu tenho esse livro, comprei na avon para a faculdade.. mas nem li todo.
    Na realidade o único que curti da facul foi Macunaíma e os de literatura inglesa e americana haha

    Queria ter assistido essa série da globo.

    beijos - Feliz dia Internacional da Mulher.
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  8. É bem verdade quer certos livros incluindo este não estão ao nivel da maioria dos brasileiros, para apreciá-lo é obrigatório um certo nivel intelectual não presente nos mesmo, ainda mais quando falamos de adolescentes.

    ResponderExcluir