05 fevereiro 2012

4 melhores séries que assisti nas férias

Vim tirar a poeira do blog – a demora é devida em parte ao fato que eu estou to meio que vegetando em homenagem aos últimos dias de férias (é bom acumular sono para a época de aula) e em parte porque a Polícia Militar de várias partes da Bahia está greve, então estive um pouco tensa, acompanhando bastante as notícias. (Quem quiser saber mais – a mídia nacional não falou nem 10%, só para variar – dei uma pequena contribuição para este texto aqui).
Bom, na falta de novidade – minhas leituras foram meio que suspensas (embora eu tenha me dedicado à Emma, de Jane Austen, durante todo o dia de hoje) e eu queria ver filmes que fossem lançamentos (nada não infantil passando) –  aqui está um post que venho planejando há algum tempo:  as quatro melhores séries que vi nas férias (que,  por sinal, snif, snif, acabam amanhã). O post ficou grande, mas, prometo, as séries são muito legais. Vamos às sugestões:
4 – Boardwalk Empire
Adoro histórias de Gangsters, a lei seca americana e tudo que cerca este mundo desde que ganhei uma biografia de Al Capone. É interessante ver como o crime conseguiu crescer baseado numa lei bem intencionada – a de proibir o álcool e, assim, aplacar males como alcoolismo. Isso também leva a um problema bastante humano: achar é que as pessoas irão deixar de fazer algo somente porque você é contra e apresenta alguns argumentos para tal. Não dá certo com o aborto, com as drogas, e também não deu certo para o álcool. E foi isso que ajudou Nucky Thompson, personagem principal do seriado, a fazer fortuna: a vontade das pessoas em geral em consumir bebidas alcoólicas, mesmo que estas fossem ilegais nos Estados Unidos dos anos 20.
O seriado é genial: bem produzido, bem estruturado e baseado em fatos reais – temos até mesmo flashes do jovem Al Capone, antes do mesmo se tornar chefão da máfia. O clima dos anos 20 é charmoso, e, para as feministas, é ótimo observar o (pouco) papel que as mulheres têm na trama.
3 – A gifted man
Michael Holt é um neurocirurgião brilhante: sua vida não é simplesmente dedicada ao trabalho – ela É o trabalho. Contudo, Michael começa a ver o fantasma de sua ex-mulher, Anna Paul, uma médica de família extremamente generosa. Logo Anna Paul – ou melhor, seu fantasma –  começa a lhe pedir favores, todos relacionados à clínica gratuita (nos EUA, não existem hospitais públicos propriamente ditos, mas algumas clínicas recebem doações e funcionam gratuitamente para pessoas sem plano) que ela dirigia. Logo, Michael se envolve com a clínica, e tem que conciliar seus pacientes de lá com os de classe média alta que usualmente atende.
Quando li o resumo, achei que não fosse gostar da série. Sou uma cética de plantão, não do tipo que escrutina a teoria da evolução ou qualquer outra coisa para provar que o resto do mundo está errado: simplesmente admito que não há explicação para tudo, e que eu não realmente preciso de explicação para tudo. A propaganda na TV não realmente ajudou para que eu simpatizasse com A gifted man: nela, Michael psicografa, o que é bastante atraente para quem gosta de filmes e livros espiritas, mas bem pouco para quem os acha melosos. Além disso, lições de moral em séries me irritam: pelos resumos, esta parecia ser contra o materialismo, o egoísmo, a solidão, o ceticismo e etc. Dificilmente alguém vai se sentir culpado com uma série. Alguns filmes, como um que resenhei aqui, chegam a este patamar, mas séries são longas, e chega um momento em que toda a coisa fica chata e repetitiva. 
Contudo, A gifted man não tenta nos dar lições de moral e Michael não psicografa: o seriado é bem leve e as aparições de Anna não sofrem justificação de uma religião ou outra. Além disso, é legal perceber o choque que ocorre quando Michael, acostumado há mais de dez anos com pacientes ricos e bons equipamentos vai trabalhar numa clínica de poucos recursos onde os pacientes carregam problemas além dos de saúde. A parte médica é um plus: os casos são interessantes (não tanto quanto os de House, mas são) e bastante focados na parte neurológica.
2 – Survivors
Remake de uma série dos anos 60, Survivors fala de um mundo onde 98% da população mundial pereceu de uma estranha gripe e os personagens retratados lutam pela sobrevivência.
Adoro séries pós apocalípticas, então Survivors  foi ótima para mim. A série conseguiu fazer com que eu me sentisse na pele a tarefa de aprender a viver sem tecnologia, comidas prontas e entes queridos. Eu havia assistido a primeira temporada há alguns anos, e prossegui para a segunda. Como toda boa série inglesa (aspecto que, na minha opinião, as tornam superiores às americanas, que acabam, as vezes, com um roteiro enrolão e uma produção não tão boa) são poucos episódios, que deixam aquele gostinho de quero mais.
1 – Terra Nova
Terra Nova é uma superprodução o que, para alguns, pode levar à uma antipatia imediata. Porém, não se engane pelos efeitos especiais – realmente há um enredo por trás de todos eles. Em 2149, a terra está em seus últimos suspiros. Os cientistas, porém, conseguiram achar uma fenda que pode transportar alguns colonos para 85 milhões de anos antes de Cristo.
Shannon foi recrutada para ser médica em Terra Nova, esse tal admirável mundo novo sem poluição. Só há um (literalmente) pequeno problema: ela e seu marido, Jim, desrespeitaram a política de controle populacional do governo e tiveram sua terceira filha, Zoe. Quando os agentes de controle populacional tentaram levar Zoe em custódia, Jim os agrediu, indo assim para a prisão.
Isto não foi um problema para a família Shannon, e todos os cinco conseguem chegar em Terra Nova sãos e salvos. Contudo, esse novo lar tem mais problemas do que se podia imaginar: um grupo dissidente, os sextos, sabota a colônia.
Olha, Terra Nova é viciante. Não gosto dos filmes e seriados que têm somente efeitos especiais – Transformers 3 que o diga – sem uma estória por trás, mas Terra Nova combina o melhor dos dois mundos. A família Shannon cansa às vezes, mas a rebeldia do filho dá uma quebrada naquela aura de perfeição e união familiar que, apesar de ser maravilhosa na vida real, enjoa na ficção.






12 comentários:

  1. Não vi nenhuma destas séries, especialmente a primeira. Por falta de tempo, infelizmente. Mas, se ela for tão boa qto Família Soprano, valerá a espera!
    Boa semana!

    ResponderExcluir
  2. Olá,
    passei para conhecer o seu blog,
    adorei aqui.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. A situação por aí deve andar tensa mesmo, não dá nem pra imaginar. Na verdade, estou envergonhada de como estou por fora das notícias ultimamente. Depois que me desencantei com o jornalismo fiquei relapsa pra caramba, preciso voltar a ler portais de notícia.

    Enfim, sobre as séries: não assisto nenhuma e confesso que a única que me interessa é Boardwalk Empire, porque sempre pareceu muito bem produzida (e você confirmou, né?) e acho o tema legal. De resto... Mas, ah, quando li sobre Survivor lembrei de um série de livros chamada Gone - é YA, mas é um YA muito inteligente e bem escrito :)

    Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Tenho assistido Suborgatory e The Mentalist. Eu até gostei de Terra Nova, mas estou com medo do final ser algo estilo Lost, meio nada a ver, sabe?

    Ótimo post!

    Um beijão,
    Pronome Interrogativo.
    http://www.pronomeinterrogativo.com

    ResponderExcluir
  5. Quero muito assistir A gifted man, adoro o ator principal.
    Terra nova eu já vi e achei meio Lost...rs mas foi um ponto positivo porque adoro Lost, mas achei alguns capítulos fraquinhos.
    Ótimas indicações.
    bjos

    ResponderExcluir
  6. Oi! Terra Nova foi largada. Eu nunca tinha ouvido falar em Survivors, depois vou ver um episódio.

    ResponderExcluir
  7. Gostei bastante das dicas
    E essas series ainda não conhecia
    Mas estou com outras para as férias, que inclusive já acabaram...

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Isabel.
    Eu comecei a ver Survivors, mas acabei abandonando a série devido estar vendo muitas ao mesmo tempo.Porém pretendo retomar a vê-la algum dia.
    Beijos.
    http://booksedesenhos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Eu gosto de Terra 'Velha' é legal. Adoro a Zoe e os dinos, aliás preciso colocar em dia.
    B.Empire tenho vontade de assistir, gosto do Steve Buscemi, esse da foto kk

    A Gifted Man tenho vontade de assistir tb por causa do Patrick.

    Então aqui onde moro tem 3 cinemas, só um é mais 'decente' e tem opções de legenda.. mas aqui eles prezam muito filme infantil.

    beijos e uma ótima semana
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  10. Sempre quis assistir à série Terra Nova, deve ser tão legal!
    As outras não conhecia, mas Survivors parece ser bem interessante!!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. não conhecia nenhuma dessas séries, mas fui principalmente com a cara desse Gifted Man :} adoro histórias que trazem uma mudança tão clara de personagens =D

    ResponderExcluir
  12. Survivors deve ser bem legal me interessei eu tbm gosto desse clima apocalíptico, bem legal.

    Bjs

    ResponderExcluir