28 dezembro 2012

Rebel Heart




Eu não acredito em quem diz que não gosta de ler.

Essa é uma crença forte e irracional, quase religiosa, da qual dificilmente serei dissuadida. Não querendo puxar a sardinha para o meu lado de leitora voraz e aspirante à autora, mas não há nada que te transporte, te entretenha e te ensine como um bom livro. Existem vários motivos pelos quais alguém comete o grande engano de achar que não gosta de ler, e elenco “não ter achado os livros certos” como principal, ao menos nas pessoas que conheço. É dose que a maioria tenha começado a sua vida leitora com um Machado de Assis (maravilhoso, mas na fase certa) imposto por uma professora dificilmente simpática em um lugar que geralmente se odeia.

Ao mesmo tempo que a defendo com tanto ardor, porém, é difícil acreditar que a literatura sobreviveu a plataformas visualmente mais atraentes, como o cinema e os jogos. O Gotham writers’ workshop (oficina de escrita, cuja apostila pode ser baixada gratuita e legalmente no Brasil aqui) aponta que os personagens são a razão pela qual lemos ficção, e, mais do que isso, o diferencial entre o livro bom e o ruim. Ao contrário do cinema, por exemplo, em um livro passamos horas e horas com os mesmos personagens, entramos em seus pensamentos e conhecendo o seu passado de forma dificilmente possível na vida real, despertando, se eficiente, empatia. Como fã de literatura de gênero, fiquei um pouco cismada com essa afirmativa – não são os mundos e cenários igualmente importantes? – mas o segundo volume da série Dust Lands, Rebel Heart, me faz ver que o pessoal da Gotham está certo.

Saba é o tipo de protagonista que podia ser nossa colega de classe – não porque é comum, e sim porque é real como a dor. Esquiva e bruta, ela tem razão para sê-lo, e mostra uma coragem do tipo que só se tem caso se ame ou se odeie muito a alguém.

{Pode conter spoilers do volume um, Caminhos de sangue, a partir daqui – minha resenha deste começo magnífico está aqui.}


E, com Saba, o caso é o primeiro: ela ama com a própria vida. Primeiro foi Lugh, seu irmão gêmeo e razão de viver, resgatado dos Tonton por ela e seus novos amigos, com o brinde de uma auto-confiança e personalidades próprias no caminho. Em Rebel Heart, Lugh está tão insuportável que quase desejei que Saba não houvesse resgatado-o – ele simplesmente não se acostuma com o fato de que as duas irmãs aprenderam a se cuidar sozinhas, não necessitando mais das suas ordens.

Com um encontro marcado com Jack na Água Grande, paraíso com terra fértil e sociedade calma, Saba viaja. A prepotência de Lugh e os perigos da estrada já seriam o suficiente para se lidar, mas ela ainda tem outros problemas bem grandes – o mais imediato deles são os fantasmas, que a perseguem dia e noite.
Não, Dust Lands não virou uma série paranormal. Moira Young acerta lindamente mais uma vez, porém, ao mostrar as dores de Saba por ter matado tantas garotas nas lutas em Vila Esperança e a amiga Epona em Campos da Liberdade. Odeio a figura do herói que persegue seu objetivo sem pestanejar – é mais real que ele sofra, mesmo sabendo que os sacrifícios foram por um bem maior. O bem maior pode até compensar, mas essa compensação não cura as cicatrizes.

O outro problema é a nova ordem política que a terra de Saba assumiu: DeMalo, antigo braço direito de Vicar Pinch, agora é o Pathfinder, líder dos novos Tontons – agora avessos ao chaal, prostituição e brigas – e dos Stewards of Earth, jovens saudáveis recrutados para “salvar a terra”. Todo lugar fértil é roubado, seus habitantes expulsos, e os velhos e doentes mortos. Com o caminho infestado desses novos fanáticos, não é conveniente que o Pathfinder tenha posto um preço na cabeça do conhecido Anjo da Morte, facilmente reconhecível por sua tatuagem de nascimento. Não sei se foi esse o objetivo da autora, mas me lembrou uma situação histórica bem importante: a impotência dos nativos das Américas diante os seus colonizadores, que acreditavam crer ter direito divino àquela terra.

Acho que não fui a única a se irritar um pouco com a escrita de Young em Caminhos de sangue – irregular e gramaticalmente incorreta, não é muito confortável para o leitor tradicional. Acostumei-me, e em Rebel Heart vi o seu objetivo: transmitir as emoções de Saba da única maneira que ela conhece – intensamente – me gerando arrepios e crises de choro (algumas no ônibus – ééé).

Lugh é uma pedra no sapato do desenvolvimento da trama, mas de forma positiva – haveria muito menos conflito caso ele não tentasse retomar o “controle” da família. Os novos personagens são as criaturas mais interessantes e únicas que já vi na ficção, uma mistura de referências que me fazem ansiar não só pelo terceiro livro da série, mas também por qualquer outra coisa que Moira Young possa escrever.

Infelizmente, Rebel Heart até a publicação desse post não tem data de lançamento prevista para o Brasil, assim como o terceiro livro no exterior. Preparem as unhas, pessoal.




19 comentários:

  1. Oi Isabel!

    Penso igual a você! não é possível as pessoas não gostarem. Elas só ficam empatando a coisa, desistem antes de tentar! E sim, os personagens são uma das razões, realmente se não a principal. Eles movem tudo. Tem uns que são bons demais!

    Não li a resenha toda, pois ainda quero ler Caminhos de Sangue.. Fiquei com medo de spoiler.. rs

    Feliz Ano Novo! o/

    Beijos,

    Marcelle
    bestherapy.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Isabel, concordo com você que começar a ler sob pressão no colégio não é a melhor coisa do mundo - até hoje me mantenho brigado com Machado de Assis - e demorei muitos anos para voltar a ler literatura nacional e ser resgatado por José Lins do Rego. Acho que tudo tem seu devido tempo.

    Quanto à resenha, fiquei com medo dos possíveis spoilers, esta é uma série que quero muito acompanhar, então quando ler volto aqui ;)

    ResponderExcluir
  3. Eu concordo com você que muitas pessoas param de ler, pois a escola impõe livros -necessários e dificeis ,que muitas vezes- não despertam o interesse na leitura.

    Mudando de assunto, li sua resenha e fiquei com uma certa expectativa. Moira Young sabe escrever muito bem, fiquei muito surpresa com caminhos de sangue e ansiosa para o segundo. Espero que minhas unhas aguentem ate o lançamento de rebel heart aqui no Brasil. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. todas nós, Anna! infelizmente a editora ainda não tem previsão para o lançamento, mas vou postar qualquer novidade quando houver. pretendo comprar a edição brasileira de qualquer jeito - acho os paperback americanos meio podrinhos - então...

      Excluir
  4. Oi Isabel! Quando vi a capa pensei logo que já tinha saído aqui, estou ansiosa para ler. Eu achei super legal seu comentário sobre não gostar de ler, eu acredito que isso se dá pelo fato de a pessoa não ter reservado um tempinho para procurar um livro com enredo que lhe agrade e tentado ler. Falo por minha irmã que diz não gostar, pois não tem paciência para ficar parada lendo. Pode uma preguiça dessas? Bjos!! Cida

    ResponderExcluir
  5. Olá Isabel!

    Eu não consigo me imaginar sem ter algo para ler O.O, simplesmente é impossivel, acho que entro em depressão rs...

    Não conhecia o livro e nem a autora, mas pela sua resenha a história parece ser bem interessante. Espero que chegue logo por aqui =D

    bjus;***

    anereis.
    mydearlibrary | bookreviews • music • culture
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  6. Concordo com você, impossível existir alguém que realmente não goste de ler, quanto ao livro, não conhecia e já tenho tantos livros programados pra ler que vou deixar pra pensar neste só daqui uns bons meses haha, sou dessas.

    Adorei seu blog e estou te seguindo, se puder seguir o meu de volta eu agradeço.
    http://quaseatoa.blogspot.com/

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi Isabel!
    Não tenho vontade de ler essa série apesar dos comentários super positivos, pois já sei que vou me irritar com os problemas gramaticais.
    Também não acredito quando alguém diz que não gosta de ler, mas já ouvi muitos dizerem que é "perda de tempo". Engraçado que essas mesmas pessoas gastam suas horas assistindo baixarias na TV...
    Eu concordo com a afirmação sobre os personagens. Se eu não vou com a cara dos personagens, fica difícil gostar do livro.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  8. A verdade é exatamente isso que você falou. As pessoas apenas não encontraram seu gênero e saem afirmando que não gosta de ler. E outra, depois que a leitura fisga as pessoas, ela ler de tudo.

    Estou mega curioso para ler Caminhos de Sangue - sempre suspeitei que era um livro bom, preciso começar a ler logo e prosseguir com esse.

    ResponderExcluir
  9. Caralho! (Pode falar palavrão nos comentários????)
    Desculpa, mas eu leio muuuuuuito, desde criança e sou blogueira por opção e amor. Nunca vi alguém descrever a impossibilidade de alguém não gostar de leitura de forma tão bonita quanto você fez. Depois ainda me traz uma resenha que me deixou enlouquecida, porque eu não li e não conheço a série, mas eu já amo a Saba, principalmente porque com uma descrição dessa é amor na certa:

    "Saba é o tipo de protagonista que podia ser nossa colega de classe – não porque é comum, e sim porque é real como a dor. Esquiva e bruta, ela tem razão para sê-lo, e mostra uma coragem do tipo que só se tem caso se ame ou se odeie muito a alguém".

    Saba sou eu! O amor me dá asas e eu espero não conhecer o ódio para saber se ele também tem esse poder.

    Querida, que 2013 lhe traga todas as leituras e personagens que dêem a você asas.

    Grande beijo,
    Pâmela Rodrigues

    Ops, não posso esquecer...

    Indiquei você para um meme em meu blog. O post tem 4 memes, você está indicada em 1 apenas, não se assuste, rs!

    Segue o link: http://listerealize.blogspot.com.br/2012/12/adeus-ano-velho-feliz-ano-novo.html

    Blog: Liste & Realize
    Página no Facebook

    ResponderExcluir
  10. você escreveu tão lindamente, o que nos faz se apaixonar por um livro muitas vezes é o personagem. eu que sei, tenho tantos amores que o coração fica apertado, mas sempre cabe mais um.
    achei a historia interessante, vou add a minha lista no skoob.

    ResponderExcluir
  11. Eu não sabia que Caminhos de Sangue tinha uma continuação :o
    Adorei o que voce escreveu sobre não gostar de ler!
    Tipo, é muito verdade! Desde pequenininha eu leio (claro, eu lia contos infantis, né?), e hoje em dia, eu vejo como esse hábito deu super certo. Pelo menos eu acho que sei escrever um pouco melhor,sabe ? rsrs Meus primos não curtem ler muito, mas ultimamente até eles tão pegando o gosto pela leitura! Mágico, né? rsrs
    Ah, seu pai não deixa levar livros pra ceia? Eu levo mesmo que minha mãe faça careta rsrs sou rebelde -q -n
    Entendo :t
    Um beeijo!
    Pâm
    http://interruptedreamer.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Concordo quando diz que quem não gosta de ler ainda não encontrou o livro certo. Acho que é assim na vida de todos, só que alguns tem a sorte de encontrar o livro certo bem cedo na vida, podendo passear por diversos gêneros mais facilmente. Muito do meu gosto pra leitura herdei do meu pai e da minha mãe: sempre gostaram de ler e crescer em uma casa com muitos livros me fez acordar pra isso e querer ler tantos quanto eles. E também tive professoras de literatura adoráveis durantes os ensinos fundamental e médio, então eu jamais lia por obrigação, fosse qual fosse o título era sempre um prazer.

    Gostei da resenha e fiquei bem curiosa pelo livro. Pena ele não ter data de lançamento por aqui... o jeito vai ser encontrá-lo em inglês mesmo! Enfim, um feliz 2013 pra vc e a família! :D

    ResponderExcluir
  13. Ainda não li 'Caminhos de Sangue', mas sua resenha do próximo volume me fez ficar um tanto curioso!
    Beijos,
    Vinícius - Livros e Rabiscos

    ResponderExcluir
  14. Não conhecia, mas gostei!
    Beijinhos e Feliz 2013
    Rizia - Livroterapias
    http://livroterapias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Oi, Isabel!
    Adoro Machado de Assis, mas o que você falou está certíssimo, tem que ser no tempo certo. Odiei inúmeros autores no colégio e, hoje em dia, gosto demais.
    Tudo tem o seu tempo.
    Beijos, flor!
    http://critiquinha.com/

    ResponderExcluir
  16. Oie Isa
    Eu conheço muitas pessoas que não gostam de leitura, porque não tiveram o costume de ler quando eram menores, ou não foram incentivadas pelos pais. Sinceramente eu não as entendo. Eu tmb não fui incentivada, mas hoje estou aqui: amante dos livros.

    Caminhos de Sangue nem parecia que renderia uma continuação tão empolgante como a sua resenha descreve, mas o fator ousadia no quesito linguagem, me fez virar fã da autora, e ansiar pela continuação da trilogia. Também gosto do fato dela fugir dos padrões e não ter colocado um triângulo amoroso em sua história.
    Bjos

    ResponderExcluir
  17. Adorei a resenha, estou esperando Rebel Heart chegar por aqui, quando terminei o primeiro fiquei orfã de Dust Lands, aaahh!! Só estou com medo de ficar com muita raiva o Lough, eu já não fui muito com a cara dele. E já li em outras resenhas que o Jack não aparece muito (triste) , mas é só esperar!!!!

    ResponderExcluir
  18. Oi...

    Bem preciso de ajuda pois não consigo encontrar o livro em canto nenhum e eu preciso terminar essa trilogia principalmente pq eu odiei o Jack desde o começo e me apaixonei desesperadamente pelo DeMalo então eu estou sabendo de muita coisa e preciso muito muito ler...

    Pf alguém me diz onde posso encontrar o livro..😭😭😭

    ResponderExcluir