23 março 2013

[LIVRO] A abadia de Northanger



Folheando o meu módulo da escola (atividade bem mais interessante do que estudar nele, devo sinalizar) me deparo com um texto sobre devaneios. Este assunto muito me interessa: eu e eles somos bons amigos, companheiros de todas as horas. Qualquer acontecimento é um gatilho para, em um segundo, um sonho acordada de mil possibilidades, felizes e fatais, banais ou transformadoras. É um mal de romancistas em geral, creio eu: a realidade é o mármore, e nossos devaneios o cinzel – alguns resultando em um bom trabalho, outros em refugo ou pó perdido para sempre.

Qual não é minha surpresa quando descubro, afinal, que esse mal coletivo está sendo patologizado: já existem remédios para devaneios excessivos.

Espero que não aconteça com isto a medicação e diagnósticos desnecessários que já ocorrem com outros males, mas é fato que nada em excesso faz bem. Catherine Morland, uma das heroínas mais desmioladas de toda a literatura, bem sabe disso.

Catherine detestava livros que não fossem romances, ou qualquer outra ocupação “útil” para uma dama do século XIX – deliciar-se com histórias de amor, terror e mistério é o seu principal prazer. Na época que A abadia de Northanger foi escrito, romances góticos estavam em voga, freqüentemente seguindo a fórmula de heroína perfeita e destemida (as infames Mary Sues), casarão mal-assombrado e explorações a luz de velas (durante uma tempestade, claro – quem seria estúpida o suficiente para fazê-lo em um dia comum?). 

Das obras de Austen é aquela em que a ironia e a crítica se fazem mais claras: há freqüentemente a interlocução, onde ela discute, dentre outras coisas, o desprezo por literatura de entretenimento, muitas vezes alimentado por seus próprios autores – não soa atual?

Mas ao mesmo tempo Austen não hesitou em satirizar os tais romances góticos pré fabricados, sendo a figura de Catherine sua principal alegoria. A nossa protagonista é, como já foi dito, desmiolada e suscetível a devaneios, produto de uma vida isolada e tranqüila no campo. O chamado á aventura, porém, ocorre logo e na idade propícia: a não excepcionalmente bonita Catherine Morland é convidada por seus vizinhos para ir à Bath por seis semanas, cidade bastante agitada e social para os padrões da época.

Lá as aventuras de Catherine não se dão graças a um assassinato misterioso, e sim a seus novos amigos. Há os Thorpe, velhos conhecidos de seu irmão, cujo comportamento ambíguo não assusta a inocente Catherine; e os Tilney, gentis filhos de um general. O tempo longe de casa se prolonga graças aos últimos, que convidam a garota para uma estadia em sua casa, a bela abadia de Northanger.

Como qualquer bom escritor, Jane Austen se apóia sob seus personagens, por isso não é lá uma grande surpresa que Mansfield Park e sua morta Fanny sejam completamente sem sal e Emma tão fantástico. Catherine não é uma personagem muito interessante, mas ao contrario de Fanny, tem seus atrativos: sua inocência leva a erros hilários.

Sim, é feio rir de alguém assim (mesmo se for um personagem ficcional) mas só se ri do que se conhece, e os desconfortos que Catherine passa entre amigos de índole duvidosa e enganos na abadia não são completamente desconhecidos para leitores mais sonhadores.

É uma impressão bastante clara que (com exceção do Sr.Darcy) Jane Austen não desenvolveu seus protagonistas masculinos de propósito – não sabemos muito sobre o Sr.Knightley, e mal consigo me lembrar os nomes dos outros sem forçar um pouco minha lembrança. Para deixar suas personagens femininas mais brilhantes, talvez? Mas mais do que o tetê-à-tête agressivo de Elizabeth Bennet com o Sr.Darcy ou as reprimendas a Emma, gostei muito dos diálogos em A abadia de Northanger. Amigos nos ajudam a crescer; e é isso que os Tilney fazem com Catherine. O primogênito também critica duramente as conversas vazias que todos (até hoje) são obrigados a travar por educação, passagens interessantes, já que compartilho desse desamor sobre a situação do asfalto, lugares comuns quanto ao governo e coisas semelhantes.

Não é o melhor livro de Jane Austen (Emma ainda ocupa este posto na minha opinião) mas com certeza é o mais divertido e encantador. Uma ótima e não muito dolorosa forma de me despedir da minha escritora favorita.

{Resenhei uma das adaptações cinematográficas deste livro aqui.}

Não se esqueçam do booktour e do sorteio! Além disso, fiz um vídeo lá no blog da NRA sobre o Camp NaNoWriMo, desafios para escritores e “vou-escrever-um-livro-um-dia” que citei no meu post de metas. Para quem quiser dar uma conferida:

32 comentários:

  1. Estou lendo um livro da Jane Austen, Orgulho e Preconceito! O livro é muito gostoso, e logo pretendo ler todos os livros de Jane! Pois a escrita é bem legal, adorei mesmo!

    Beijos, beijos e abraços. www.7hings.com.br, hey te espero lá..!


    ResponderExcluir
  2. Este livro está na minha lista para esse ano.
    Já li três obras da Jane Austen e amei todos. :)
    Beijos,
    Nataly Nunes
    http://critiquinha.com/

    ResponderExcluir
  3. Da Jane só li uma adaptação em inglês de Pride & Prejudice, mas este é o livro dela que verdadeiramente quero ler!
    Adorei a resenha.
    Beijos,
    Vinícius - Livros & Rabiscos

    ResponderExcluir
  4. Oie Isabel
    Jane é minha diva, justamente por dar tanto destaque a suas personagens femininas, e algumas serem tão " a frente de seu tempo", como é o caso de Elizabeth de Orgulho e Preconceito, meu favorito dela. Ainda não li todos os livros de Austen,acho que pelo medo de acabar, já que só faltam 3 obras para ter lido tudo da autora, e sei que sentirei saudades de sua narrativa. Vou colocar a Abadia de Northanger na frente da pilha, e finalizar com Emma, já que vejo que este é o preferido de muitos.
    Assim que a Isabela (minha filha) acordar, irei assistir o vídeo ,pq a bichinha acorda com qualquer barulho rs
    bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. emma é muito amor <3 obrigada por assistir o vídeo!

      Excluir
  5. Jane Austen é tão maravilhosa, queria ler todos os livros dela, mas ainda não tive tempo. Sua resenha foi tão gostosa de ler! Só não foi melhor pra mim porque não conheceço Emma, nem A abadia de Northanger, e que raiva disso! Preciso de mais tempo pra ler.

    ResponderExcluir
  6. Poxa,eu estou tentando ler vários livros da agatha christie,mas sempre começo a ler vários ao mesmo tempo,e nunca consigo terminar de ler u.u
    http://primasxavier.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Nunca tinha ouvido falar desse livro.
    Mas parece ser bem interessante.
    Adorei a resenha.

    Beijos
    http://caroleblablabla.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Que resenha ótima! Você escreve realmente muito bem! Posso te dar uma sugestão? Justifique o texto! Vai ser o toque final!

    Uma das minhas metas do ano é ler todos os livros da Jane, então esse com certeza está na meta desse ano - que espero cumprir.
    @mmundodetinta
    maravilhosomundodetinta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela sugestão! De fato fica mais bonito...

      Excluir
  9. Estou no meio desse livro e estou gostando bastante

    bjos

    ResponderExcluir
  10. Adorei a resenha, você tem realmente um jeito muito bom de escrever sobre um livro, dá uma emoção muito grande.
    Ah o estante virtual, para nós que somos loucas por livros, é o paraíso, pois muitos mandam até fotos dos livros, têm descrições boas e não honestos. ^^ Adorei a experiência e vou comprar muitas vezes mais.
    http://www.valeuapenaesperar.com/

    ResponderExcluir
  11. Não conhecia Jane Austen.. mas confesso que depois da sua resenha, fiquei bem curiosa pelo trabalho dela. Nada melhor que um pouco de ironia na leitura, seguida de crítica.
    Acho que depois vou procurar pelo Emma para conhecê-la, já que você gostou deste.. ^^

    Beijos
    Luizando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma ótima introdução, Luiza: a websérie The Lizzie Bennet Diaries. Tem legendado no YouTube e é magnifico!

      Excluir
  12. Oie Isabel!

    Ah!! Jane Austen rs... eu preciso ler algum livro dela urgentemente, para ver se ela é tão diva quanto falam. Eu tenho bastante curiosidade de ler o Abadia de Northanger, mas vou começar por Orgulho e Preconceito afinal já que gostei do filme acredito que vou gostar do livro.

    Ótima resenha!

    Beijos e um ótimo domingo para você =)
    anereis.
    mydearlibrary | bookreviews • music • culture
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  13. Adorei a resenha! Vou ler com certeza! Afinal Jane Austen é vida, e o livro me atraiu, realmente!
    xoxo
    peoples-says.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Eu nao li esse livro ainda :/
    Mas austen eh a minha autora classica preferida sabe? :)
    Pra variar amei tua resenha :) vc escreve muuuuuuito bem

    Beijos,
    Carol e seus livros.

    ResponderExcluir
  15. Isabel, eu li o "Orgulho e Preconceito", da Austen, depois de muito tempo adiando meu encontro com a autora e gostei. Penei um pouco, mas no final, e repensando o que li, achei bastante satisfatório, meu medo de não compreender não se justificou, o que, por si só, já foi muito bom. Quero muito ler algo mais dela, quem sabe um dia tenha condições de traçar paralelos tão bem como você fez no post.

    ResponderExcluir
  16. Oi Isabel, ainda não li nenhum livro da Jane mas ta na minha lista de desejados, tenho muita vontade e curiosidade de ler, só ainda não fiz isso porque tenho um pouco de receio pensando que posso não compreender, mas eu acho que vou me surpreender! Depois de ver vários comentários positivos to com mais vontade ainda!

    Agente já postou lá, quer ler? Desde já obrigada!
    -Mica
    Fallen in Me

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vá sem medo. Jane é uma das autoras clássicas mais fáceis!

      Excluir
  17. Que coincidência você resenhar logo esse livro! Terminei de ler ainda hoje pela manhã, foi uma leitura bastante rápida - ainda mais se levar em consideração que eu tinha lido Emma antes de entrar na Abadia. E não tem como descrever Catherine melhor do que isso: desmiolada! Mas achei uma leitura bem divertida, principalmente por Catherine ser tão diferente das outras heroínas Austen. Lizzie ainda é minha favorita, acompanhada de perto por Emma. E, nossa, Fanny me dava uma agonia tremenda! Muito insossa, ah! E Catherine é toda atrapalhada com as ideias, imaginando coisas absurdas por conta de tanta leitura de romances, rs. Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato! Heroínas legais, inteligentes, sensatas e apaixonadas são uma coisa bem legal, mas é bom ver que ela fugiu um pouco disso...

      Excluir
  18. Oi, Isabel!
    Eu acho um barato a forma que vc faz suas resenhas! *-*
    Eu ainda nao li nada dessa autora, e vou ser sincera... nao tenho muita curiosidade. Ate tenho uns 2 ou 3 livros dela aqui, mas nao estão na fila de prioridade hehehe

    Bjos
    Flavia - Livros e Chocolate

    ResponderExcluir
  19. Oi Isabel! Tenho muita vontade de ler algum livro da Jane Auste, mas nunca ser por qual começar. Dizem que Orgulho e Preconceito é sua obra literária mais encantadora, mas tenho expectativas lá no alto, por isso não leio: pra não me decepcionar.
    Gostei bastante da sua resenha de A Abadia de Northanger. Talvez eu comece com ele... Me interessei bastante, de verdade! :)

    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  20. Eu preciso ler Jane Austen, acho que sou a única pessoa do mundo que ainda não leu. Quero começar a ler Orgulho e Preconceito.

    Beijokas :*
    Blog da Mylloka

    ResponderExcluir
  21. Me agrada, heim! Nunca li nada da Jane ( eu e a menina do comentário aqui de cima!), apesar de várias indicações, sempre dou preferencia pra outros livros, está bem na hora de mudar isso!! hauhaua
    Curti mto seu blog!!

    Bjinhos
    Ju
    asbesteirasquemecontam.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  22. Eu sempre começo a escrever uma fic e paro ela no meio ou nem na metade. Ou é porque me falta inspiração ou porque eu sou preguiçosa mesmo. Não sei o que acontece... No momento estou tentando terminar uma fic ANTIGONA minha e to postando em um site de fanfics.

    Xx
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
  23. Oi Isabel, tudo bem?
    Ainda não li esse livro da Jane, mas tenho muita vontade. E uma observação feita por você chamou e muito a minha atenção. De fato, depois de Darcy, nenhum outro personagem masculino ficou tanto em evidencia. Pelo menos não em Persuasão e Razão e Sensibilidade, que além de O.P foram as outras obras da autora que li. Fiquei curiosa, pois, até minha professora de Literatura Inglesa afirmou que esse livro era um dos livros com maior crítica escrito pela Jane, mesmo não sendo o favorito da maioria.
    Abraços,
    Amanda Almeida
    Você é o que lê

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A crítica neste é ferrenha! Vale a pena ler.

      Excluir
  24. Oi!
    Ainda não li este livro da Jane Austen, mas sou louco. A premissa dele é muito interessante.
    Apenas li da Austen "Orgulho e Preconceito" e "Persuasão". E sim, gostei de ambos, mas "Orgulho e Preconceito" é meio preferido.
    Pelo o que você disse, esse livro é uma FORTE crítica. Acredito que este talvez seja o grande ponto positivo da obra.
    Espero lê-lo em breve.
    Parabéns pela resenha!
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.com

    ResponderExcluir
  25. Interessante esse ponto de vista que você sugeriu ser a falta de destaque dos personagens masculinos da Jane. E o mais engraçado é que todos os livros dela são pouco aprofundadas a relação física entre os personagens e mesmo assim são magnificamente lindos.
    ACabei de resenhar esse livro também, mas amei a sua.
    beijos

    ResponderExcluir