26 janeiro 2013

Dezesseis luas




“Oi, meu nome é Isabel e eu já estou há cinco anos sem pensar que me mudar seria a resolução para meus problemas.”

Acho que todo mundo – até quem mora em megalopoles e nem sabe o nome dos vizinhos – já pensou que mudar de cidade, emprego ou escola seria a solução mágica para todos os seus problemas.

É uma lógica bastante infantil, por pressupor que a fonte principal de nossos problemas repousam nos outros não (perdoem-me o clichê – brincadeira, podem me bater por isso) em nós mesmos. Não que mudar de ares de vez em quando não seja ruim, até mesmo necessário, mas esperar algo desse tipo para se mexer pode ser uma enorme perda de tempo.

É nesse erro que cai Ethan Wate, protagonista e narrador de Dezesseis luas. As primeiras páginas do livro são quase que completamente dedicadas a descrição de Gatlin, cidade onde sua família mora há séculos – e de onde ele quer urgentemente sair – e o mimimi excessivo sobre como o lugar é insuportável e seus habitantes estúpidos me irritou profundamente.


Até porque Gatlin tem alguns pontos positivos: seus moradores – geralmente de famílias antigas – amam a cidade e fazem de tudo para preservar sua história e tradições. Até mesmo, infelizmente, as velhas rixas e preconceitos. Quando a sobrinha do recluso da cidade, o sr.Ravenwood, se muda para lá, ela é automaticamente hostilizada pelos colegas de escola, que iniciam uma verdadeira “caça as bruxas” – algo ironicamente literal.

Pois é: sua descendência é só mais um item na coleção de fatos estranhos sobre Lena – há em torno dela uma aura estranha, que leva a acontecimentos peculiares que não passarão despercebidos pelos bons habitantes de Gatlin – nem por Ethan, que se atrai justamente por isso.

Como já disse, não gostei muito da postura de Ethan quanto a sua cidade natal, e toda menção ao tédio que é Gatlin me fazia revirar os olhos. De resto, ele é um protagonista até que interessante exatamente por ser o que ele despreza: um menino comum de cidade pequena do sul estadunidense, que joga basquete e vai para a escola no carro do melhor amigo.

A chegada de Lena deixa o enredo um pouco mais interessante, e a parte mística das coisas explica a atração entre ela e Ethan – nada de amor instantâneo, o que já ganha mais alguns pontinhos. A “parte mágica” de Dezesseis luas e o jeito com que ela é apresentada é interessante e convincente – um dos poucos fatores que me levariam a ler a continuação.

Porque, então, se destaquei tão poucos pontos negativos no livro? A resposta: o romance. Acho que aumentei em 200% a minha chance de ser diabética um dia graças a leitura de Dezesseis luas – é aquela coisa tão forçosamente intensa, tão Bella/Edward que não pude deixar de suspirar de impaciência durante os longos capítulos em que Ethan somente disserta sobre o quão perfeita Lena é. A paixão inclusive o torna egoísta: o pai, que sofre de depressão pela morte da esposa algum tempo antes, é completamente posto de lado – acho que não o vi ser mencionado em umas cento e cinqüenta páginas seguidas.

Dezesseis luas poderia ter metade em tamanho. A minha curiosidade quanto a série foi despertada pelo trailer do filme – algo assustador, kitsch e contemporâneo ao mesmo tempo. O enredo central e a mitologia é bom – só espero que os roteiristas da adaptação tenham tirado o açúcar.

25 comentários:

  1. Mimi excessivo?! hahaha. Ah, eu gostei do Ethan, ele foi um bom personagem. Mas até que eu gostaria de morar em Gatlin. Cidades grandes me assustam:) Eu achei diferente a parte mágica e Lena é uma protagonista meio sombria. Se a história é boa, eu nunca ligo pro alto teor de açucar. Gostei muito do tio da Lena, acho que o nome dele é Macon...
    Quero muito ver o filme! E ler a sequência do livro.
    Seu blog está bonito, gostei do novo visual!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siim, ele é um dos meus secundários preferidos :) Obrigada!

      Excluir
  2. Não conhecia esse livro, mas vc fez uma boa crítica. Adorei o post, acabei de conhecer seu blog e tô adorando. Tá tudo perfeito aqui, você escreve o que e ebay muito bem e o layout é simplesmente... incrível! *-* Sério, parabéns, você vai longe assim. Tô seguindo s2 Bjinhoss laialisafa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Isabel!
    Eu gosto muito da capa do livro, mas o enredo não me atrai tanto. Acho que agora fiquei ainda mais decepcionada, detesto livros que ficam se enrolando demais. :(

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  4. Queria muito ler esse livro, mas agora estou com uma grande lista, em breve se der eu vou ler.

    http://enfimshakespeare.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Isabel! Eu gostei do livro, mas não pelo lado do romance, mas sim pelo lado misterioso, o lado da magia. Pelo que vi da adaptação este será o lado mais trabalhado, mas não gostei do ator que fará Ethan, velhinho demais para um menino ainda na escola.


    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, não havia pensado nisso do ator haha Mas é um hábito americano, né? Um dos atores de Glee (que ainda está no colégio) já tem 30 anos!

      Excluir
  6. Tbm tive vontade de ler graças ao trailer que amei,
    até procurei o livro pra comprar, mas agora que você falou parece ser o tipo de livro que é bom nas telonas, apenas, não gosto de açucar EXCESSIVO! kkkkk

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Não gostei do livro em parte exatamente pelo mimimi do Ethan com relação à cidade. De resto, foi porque o que me chamou a atenção pro livro foi "legal, é um menino narrando, yay!", mas Ethan parece uma menininha chata e cheia de frescuras, e se já não gosto de protagonistas femininas desse jeito, imagina menino. Mas o engraçado foi que, no final da leitura, pensei "o livro é ruim, mas se fosse um filme, eu assistiria!" e aí vem o filme. Não duvido que vá ser bom, também gostei do trailer, mas o livro... não deu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato! É bem difícil encaixar esse mimi todo em duas horinhas de filme. Espero que o visual seja tão legal quanto nos trailers.

      Excluir
  8. Sempre quis ler esse livro, mas pelo que você disse é quase a relação de bela e do vampiro. Acho melhor eu ver o filme mesmo rs
    beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá !
    Já vi várias pessoas criticando esse livro, e eu não sabia que ele tem uma versão pro cinema, será que conseguirão adaptar com menos "mimimi" ;)
    abraços
    Melissa
    http://decoisasporai.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Eu não achei tão meloso, tão cheio de açúcar assim. Já li livros que são bem mais melosos que esse.
    É claro que tem o teor idealizador, todo o cuidado que o Ethan tem com Lena, mas chegar ao ponto de ser comparado a Edward e Bella, acho que é demais.
    Também não gostei da escolha do ator, não vi muito do Ethan nesse ator. :/

    ResponderExcluir
  11. Nossa você arrasa na crítica! Já está ganhando com isso? Devia! Eu não conheço o livro então, domínio para comentar é 0 mas adorei suas palavras.
    Bom dia! Tenha uma ótima semana!
    :*
    yarasousa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aaah, obrigada :D Boa semana pra vc tb!

      Excluir
  12. As opiniões sobre esse livro são sempre muito variadas, uns amam outros detestam. Ainda não li "Dezesseis Luas" e, apesar da curiosidade, não estou muito ansiosa para isso. Acho que quando eu ler ficarei do lado dos "não gostei", mas quem sabe...
    Beijos,K.
    Girl Spoiled

    ResponderExcluir
  13. Juro para você, não encontrei até agora uma resenha que ache esse livro algo realmente bom. Todos mostraram os mesmos pontos que você. Não li ainda e fiquei com vontade de ler justamente por causa do trailer (que tem minha música favorita da Florence + The Machine!). Só de pensar que o livro é cheio de mimimi, já me faz perder a vontade, mas quem sabe?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A trilha sonora parece que vai ser maravilhosa! Ao menos era, pelo menos nos teasers e trailers que assisti.

      Excluir
  14. Faz tempo que quero ler esse livro e depois que vi o trailer fiquei com mais vontade ainda de ler logo antes de ver o filme!
    A história me chama a atenção, parece ser muito boa.
    Acho que você me ganhou com "tipo Edward/Bella" Hahaha, eu não reclamo de açúcar, a não ser que venha do Sparks, porque ali eu acho sofrimento demais pra um livro só, além de que as protagonistas geralmente são fracas, sei lá...
    Enfim, quero ainda mais ler esse livro!

    Beijos
    http://livrosebatons.blogspot.com.br
    Post novo!
    Estou adorando passar aqui^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, Sparks realmente exagera MUUITO nisso do sofrimento. Acaba banalizando, sabe? Câncer não é só um obstáculo para um amor eterno e bláblá, é uma doença horrível. Fico afastada dos livros dele exatamente pro causa disso.

      Excluir
  15. Ei Isabel, primeira pessoa que eu vejo reclamar do romance desse livro. rsrs Normalmente gosto de histórias românticas, então é bem difícil esse doce me irritar (quando irrita é porque não dá mesmo para aguentar).
    Já faz um tempo que quero ler essa série, e depois de ver o trailer do filme só fiquei mais curiosa, mas não sei quando poderei ler o livro, já que preciso controlar o.Õ
    Adoro esse toque irônico em suas resenhas, sempre sai uns risinhos aqui ;)

    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Oi Isa,
    Eu gosto de romances, mas não curto quando a história fica enrolando muito e também o romance ser muito melado enjoa, né?
    Mas como curiosa que sou, vou dar uma lida nesse livro ;)

    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa

    ResponderExcluir
  17. Ai gente, alguém que também partilha do meu desprezo por romance água com açúcar! Vou te dizer que não conhecia esse livro e depois de ler sua resenha (que aliás foi muito boa comparada com outras que aparecem por aí) quero menos ainda, haha

    bjs e parabéns pelo blog

    ResponderExcluir
  18. Olá Isa,
    Olha sua resenha me fez colocar os pés no chão. Não sou fã do "mimimi excessivo" e nem do casal da saga crepúsculo. Mas pelo fato de o livro abordar a magia, eu fico com curiosidade sim de ler o livro, mas como disse vou ler de pés no chão, sem esperar muito.

    ResponderExcluir